sexta-feira, 29 de agosto de 2014

FANÁTICOS E INTOLERANTES

Eu sou uma pessoa que acredita na religiosidade, mas não necessariamente na religião. Tenho um certo medo do "fanatismo" de alguns grupos religiosos. E não se enganem, não estou falando apenas dos islâmicos, não, estou me referindo a qualquer "fanático" religioso, seja cristão ou budista.
Não há verdades absolutas sobre nada nessa vida, então, nem de longe a sua religião é a "verdadeira". Nem católicos, nem protestantes, nem islâmicos, nem...bem, acho que me entenderam.  Mas o mal não está propriamente nas religiões, e sim no conceito e interpretação de seus versículos ou parábolas, quase sempre de forma oportuna para seus seguidores(HOMENS). São os "fanáticos" religiosos que me assustam!
Os católicos tiveram seu momento "triste", com as cruzadas e inquisições(morreram centenas de mulheres na fogueira), e pior, ainda há fanáticos que contestam isso. Os protestantes  tiveram( ou tem) seus puritanistas, que inclusive rejeitam a Igreja Romana e seus ritos. No islamismo há os fundamentalistas, como os terroristas e homens-bombas.
Mesmo Ghandi era controverso, adorava o hinduísmo, o cristianismo e o islamismo, mas isso não o impediu de deitar-se com sua sobrinha de dezessete anos.
Mas como estava dizendo, o pior é o fanático, que no fundo é um intolerante religioso, que não se permite ler criticamente seu livro da Lei(Bíblia, Alcorão, Torá...etc), pior, não permite a você ser crítico desses livros. Temos que acreditar plenamente na abertura do mar vermelho, nas parábolas do Alcorão, nos códigos "secretos" da Torá(cabala) e assim por diante. Ai de você, "pecador" se contestar um fanático. Ele é capaz das piores coisas, inclusive matar em nome de sua religião, MATAR EM NOME DE DEUS, pois fanatismo é uma doença social, de difícil solução, pois exige um senso crítico que eles não tem.
O fanatismo existe também em partidos políticos, nas famílias, nas escolas "religiosas", enfim, em vários lugares.
Como professor não posso aceitar essas intolerâncias, e sei que as vezes sou mal compreendido por conta de minhas opiniões "pouco fanáticas" sobre religiões e fanatismo(alguns alunos se irritam com minhas intepretações). Mas não irei me calar, jamais, por que acredito num mundo sem esses ignorantes fanáticos, que causam mais danos sociais que muitas guerras da história do mundo, na verdade, são por  culpa desses que há muitas guerras.
Se todas as religiões estão certas, não sei dizer, mas com certeza, muitas estão erradas. Mas aí fica por sua conta e risco, mas não queiram ser intolerantes com quem não acredita nos milagres de seus livros. Isso não me torna melhor ou pior, e muito menos me torna um "ateu"(nada contra, apenas não sou), sou apenas um homem que não aceita uma "estória", mas sim a "história da humanidade". Se sou umbandista, católico, evangélico ou islâmico, é uma questão pessoal, mas respeitar a opinião dos outros, é uma obrigação!

Fanático ...Jamais serei!

quarta-feira, 13 de agosto de 2014

EDUARDO CAMPOS...PAI.

A morte de um candidato não é o fato principal, mas a morte do homem, pai, amigo, e ser humano Eduardo Campos, esse sim é o "fato" principal da tragédia. Candidato é um momento, um instante na vida de um concorrente a qualquer cargo, mas "PAI" é eterno, e sua perda será sentida por sua família e amigos por todo sempre. Triste fato num momento tão importante da história do Brasil, mas apenas à Deus está o mérito e o dever de decidir os caminhos da história. Eduardo Campos deixa um vazio nos corações de seus eleitores e marca mais uma triste estatística de morte prematura de grandes personalidades. Morreram também outras cinco pessoas do avião Cessna 560XL, que também tinham família e amigos. Um dia triste para o Brasil.

sexta-feira, 8 de agosto de 2014